Archive for Julho, 2008

Caminhos que se cruzam
Julho 31, 2008

Amores certos, rumos contrários.

O destino, às vezes, cruza a vida de duas pessoas

para depois dar a elas

rumos opostos.

Encontros e  desencontros.

A pessoa certa na hora errada.

E  a sensação de perda.

Será que esses caminhos voltam a se cruzar?

Por que os caminhos se cruzaram e depois se desencontraram?

Como explicar?

 Autor desconhecido

Anúncios

Sin ti
Julho 29, 2008

Sin ti puedo enterrar mi alma

entre poemas que sangran utopias

y esperar que las palabras que no has dicho

respiren en mis libros sin preguntas.

No sabrás del pánico de un verso

cuando lo roza el silencio

con labios que vuelven de vacío

sin excitar las manos del poeta.

 Fernando Sabido Sánchez

Ternura
Julho 23, 2008

Eu te peço perdão por te amar de repente

embora o meu amor seja uma velha canção nos teus ouvidos,

das horas que passei à sombra dos teus gestos,

bebendo em tua boca o perfume dos sorrisos,

das noites que vivi acalentado

pela graça indizível dos teus passos eternamente fugindo.

Trago a doçura dos que aceitam melancolicamente

e  posso te dizer que o grande afeto que te deixo

não traz o exaspero das lágrimas nem a fascinação das promessas,

nem as misteriosas palavras dos véus da alma…

É  um sossego, uma unção, um transbordamento de carícias,

e  só te pede que te repouses quieta, muito quieta,

e  deixes que as mãos cálidas da noite encontrem sem fatalidade

o olhar extático da aurora.

alone

 Vinícius de Moraes

XII
Julho 22, 2008

Trinta raios convergem para o meio

mas é o vazio do centro

que faz avançar o carro.

.

Molda-se a argila para fazer vasos,

mas é do vazio interno

que depende o seu uso.

.

Uma casa é fendida por portas e janelas,

é ainda o vazio

que a torna habitável.

.

O Ser dá possibilidades

mas é pelo não ser que as utilizamos.

now

 Tao Te King

Incógnita
Julho 18, 2008

O que queremos não sei, nem talvez tu

mesmo consigas discerni-lo bem…

… o encontro adiado… entre quem ?

Não sei o que pensar, nem talvez tu …

.

Não posso mais falar como se um

nós fôssemos, pois não o somos já …

… memória esparsas, cá e lá …

… pedaços de um sonho, ou de nenhum…

.

Não sei quem és, quem sou, que procuramos,

que caminho insólito pisamos,

que objectivo queremos atingir …

.

A vida é uma incógnita assumida,

sem direcção, sem leme, sem medida,

deixada ao sabor do existir …

nevoeiro

 Diana Sá

Adeus
Julho 14, 2008

É  um adeus…

Não vale a pena sofismar a hora !

É  tarde nos meus olhos e nos teus…

Agora,

o remédio é partir discretamente,

sem palavras,

sem lágrimas,

sem gestos.

De que servem lamentos e protestos

contra o destino ?

Cego assassino

a que nenhum poder

limita a crueldade,

só o pode vencer a humanidade

da nossa lucidez desencantada.

Antes da iniquidade

consumada,

um poema de líquido pudor,

um sorriso de amor,

e  mais nada.

 ahcravo-dscn2727-por-sol-bico

Miguel Torga

XI
Julho 10, 2008

Não te analises.

.

Não procures no perfume das flores

a tempestade das raizes.

.

Nem queiras

desatar o fumo

do carvão das fogueiras.

.

Ama

com ossos de cinza

e  cabelos de chama.

.

E deixa-te viver

em rio a correr…

e-agora2

 José Gomes Ferreira

Chamamento
Julho 4, 2008

Da margem do sonho

e  do outro lado do mar

alguém me estremece

sem me alcançar.

.

Um bafo de desejo

chega, vago, até mim.

Perfume delido

de impossível jasmim.

.

É  ele que me sonha ?

Sou eu a sonhar ?

Sabê-lo seria

desfazer, no vento,

tranças de luar.

.

Nuvens,

barcos,

espumas

desmancham-se  na noite.

.

E a vida lateja, longe,

num outro lugar.

ahcravo_olhares_dsc_0882-bateiras-ria

 Luísa Dacosta