Archive for Dezembro, 2008

Natal e Ano Novo
Dezembro 21, 2008

Natal e Ano Novo

Boas Festas para todos !

No ponto onde o silêncio
Dezembro 19, 2008

No ponto onde o silêncio e a solidãohow_to_heal_a_broken_heart_by_lexidh

se cruzam com a noite e com o frio,

esperei como quem espera em vão,

tão nítido e preciso era o vazio.

………………..

 S0phia de Mello Breyner Andresen

 

Improviso
Dezembro 16, 2008

Aos ventos que passavam,

por não poder com elas,

atirei um punhado de palavras.

Se rápidas voavam,

depressa regressavam

e  tombavam

como no céu, às vezes, as estrelas,

ou  pétalas de flor no chão.

E  o meu poema, os ventos o dirão…

gaivotas

José Régio

As amoras
Dezembro 11, 2008

mar-2

O meu país sabe às amoras bravas

no Verão.

Ninguém ignora que não é grande,

nem inteligente, nem elegante o meu país,

mas tem esta voz doce

de quem acorda cedo para cantar nas silvas.

Raramente falei do meu país, talvez

nem goste dele, mas quando um amigo

me traz amoras bravas,

os seus muros parecem-me brancos,

reparo que também no meu país

o céu é azul.

…………

Eugénio de Andrade

 

Não posso adiar o coração
Dezembro 8, 2008

Não posso adiar o amor

.

Não posso adiar o amor para outro século

não posso

ainda que o grito sufoque na garganta

ainda que o ódio estale e crepite e arda

sob montanhas cinzentas

e  montanhas cinzentas

.

Não posso adiar este abraço

que é uma arma de dois gumes

amor e  ódio

.

Não posso adiar

ainda que a noite pese séculos sobre as costas

e  a aurora indecisa demore

não posso adiar para outro século a minha vida

nem o meu amor

nem o meu grito de libertação

.

Não posso adiar o coração

docecoracao

 António Ramos Rosa

F.P.
Dezembro 3, 2008

De tudo ficam três coisas:

a certeza de que estamos sempre começando…

a certeza de que precisamos de continuar…

a certeza de que seremos interrompidos

antes de terminar…

………

Portanto devemos

fazer da  interrupção um caminho novo…

da queda um passo de dança…

do medo uma escada…

do sonho uma ponte…

da  procura, um encontro…

aves

 Fernando Pessoa