Archive for Fevereiro, 2010

Numa fotografia
Fevereiro 26, 2010

Não sejas como a névoa, nem quimera.

Demora-te, demora-te assim :

faz do olhar

tempo sem tempo, espaço

limpo – do deserto ou do mar.

Eugénio de Andrade

Anúncios

Noite
Fevereiro 22, 2010

Noite de folha em folha murmurada,

branca de mil silêncios, negra de astros,

com desertos de sombra e luar, dança

imperceptível em gestos quietos.

Sophia de Mello Breyner Andersen

Eu não existo sem você
Fevereiro 15, 2010

Eu sei e você sabe, já que a vida quis assim

que nada neste mundo levará você de mim.

Eu sei e você sabe que a distância não existe

que todo o grande amor

só é bem grande se for triste.

Por isso, meu amor,

não tenha medo de sofrer

que todos os caminhos

me encaminham para você.

Assim como o oceano

só é belo com luar,

assim como a canção

só tem razão se se cantar,

assim como uma nuvem

só acontece se chover,

assim como o poeta

só é grande se sofrer,

assim como viver

sem ter amor não é viver,

não há você sem mim,

e eu não existo sem você.

Vinicius de Moraes

Segredo
Fevereiro 11, 2010

Esta noite morri muitas vezes, à espera

de um sonho que viesse de repente

e às escuras dançasse com a minha alma

enquanto fosses tu a conduzir

o seu ritmo assombrado nas trevas do corpo,

toda a espiral de horas que se erguessem

no poço dos sentidos. Quem és tu,

promessa imaginária que me ensina

a decifrar as intenções do vento,

a música da chuva nas janelas

sob o frio de fevereiro? O amor

ofereceu-me o teu rosto absoluto,

projectou os teus olhos no meu céu

e segreda-me agora uma palavra :

o teu nome – essa última fala da última

estrela quase a morrer

pouco a pouco embebida no meu próprio sangue

e o meu sangue à procura do teu coração.

Fernando Pinto do Amaral

De quem as mãos
Fevereiro 4, 2010

De quem as mãos

trocadas minhas tuas

entrelaçadas nuas

dadas?

Onde é que eu já não sou

e tu já és?

Que fronteira de nós?

Não se explica no gesto nem na voz

o ponto onde eu começo e tu acabas.

Rosa Lobato de Faria