Em louvor do fogo


Um dia chega

de extrema doçura:

tudo arde.

Arde a luz

nos vidros da ternura.

As aves

no branco

labirinto da cal.

As palavras ardem,

a púrpura das naves.

O vento,

onde tenho casa

à beira do outono.

O limoeiro, as colinas.

Tudo arde

na extrema e lenta

doçura da tarde.

Eugénio  de  Andrade

2 Respostas

  1. Puxa, que linda poesia!
    Parabéns pela belíssima vitrine.
    http://bollog.wordpress.com
    Que a inspiração continue te iluminando sempre.
    José Maria Cavalcanti.

    • Obrigada, amigo, pela visita e pelo comentário!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: