A um livro


No silêncio de cinzas do meu Ser
agita-se uma sombra de cipreste,
sombra roubada ao livro que ando a ler,
a esse livro de mágoas que me deste.

Estranho livro aquele que escreveste,
artista da saudade e do sofrer!
Estranho livro aquele em que puseste
tudo o que eu sinto, sem poder dizer!

Leio-o, e folheio, assim, toda a minh’alma!
O livro que me deste é meu, e salma
as orações que choro e rio e canto!…

Poeta igual a mim, ai que me dera
dizer o que tu dizes! … Quem soubera
velar a minha Dor desse teu manto!…

Florbela Espanca, Livro de Mágoas

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: