Archive for Maio, 2013

Canção contra o Destino
Maio 28, 2013

Se é para morrer

quero morrer muitas vezes,

mais do que as que soube ter vivido

e fui eterno sem o saber.

.

Se é para morrer

morrerei tantas vezes

que entre corpo e tempo

minha alma perderá caminho.

.

E morrerei

de tudo, em cada instante.

.

Morrerei até ser árvore,

renascendo em estação

para além do tempo, para além da luz.

.

Se é para morrer

que seja como o amor :

tanto e sempre

que não será derradeira a última vez.

Mia Couto

Anúncios

Soneto
Maio 21, 2013

caminho 4

Também eu tenho um “hobby”: é viver
… minuto após minuto a minha vida,
se possível do lado em que souber
que vale mais a pena ser vivida.

Já deixei de sonhar com andorinhas
e com o deus à venda nos prospectos.
Recuso-me a entrar em capelinhas
pois faço à transparência os meus projectos.

Sei bem que os incapazes me detestam
e nem os preguiçosos aguentam
comigo a funcionar a todo o gás.

Contudo, cada um vale o que vale.
Porquê ambicionar ser imortal
se nunca saberei se fui capaz.

JOAQUIM PESSOA,  em  SONETOS PERVERSOS (Litexa, 1984)

Pátria
Maio 15, 2013

Por um país de pedra e vento duro

Por um país de luz perfeita e clara

Pelo negro da terra e pelo branco do muro

.

Pelos rostos de silêncio e de paciência

que a miséria longamente desenhou

rente aos ossos com toda a exactidão

do longo relatório irrecusável

.

E pelos rostos iguais ao sol e ao vento

.

E pela limpidez das tão amadas

palavras sempre ditas com paixão

Pela cor e pelo peso das palavras

Pelo concreto silêncio limpo das palavras

donde se erguem as coisas nomeadas

Pela nudez das palavras deslumbradas

.

– Pedra rio vento casa

pranto dia canto alento

espaço raiz e água

Ó minha pátria e meu centro

.

me dói a lua me soluça o mar

e o exílio se inscreve em pleno tempo

SONY DSC

Sophia de Mello Breyner Andresen

Garota de Ipanema
Maio 7, 2013

Olha que coisa mais linda

mais cheia de graça

é ela, a menina

que vem e que passa

num doce balanço

a caminho do mar…

.

Moça de corpo dourado

do sol de Ipanema

o seu balançado

parece um poema

é a coisa mais linda

que eu já vi passar…

.

Ah, por que estou tão sozinho…

Ah, por que tudo é tão triste…

Ah, a beleza que existe…

A beleza que não é só minha

que também passa sozinha…

.

Ah, se ela soubesse

que quando ela passa

o mundo sorrindo

se enche de graça

e fica mais lindo

por causa do amor…

mar 1

Vinicius de Moraes

Acusam-me de mágoa e desalento
Maio 1, 2013

Acusam-me de mágoa e desalento,

como se toda a pena dos meus versos

não fosse carne vossa, homens dispersos,

e a minha dor a tua, pensamento.

.

Hei-de cantar-vos a beleza um dia,

quando a luz que não nego abrir o escuro

da noite que nos cerca como um muro,

e chegares a teus reinos, alegria.

.

Entretanto, deixai que não me cale:

até que o muro fenda, a treva estale,

seja a tristeza o vinho da vingança.

.

A minha voz de morte é a voz da luta:

se quem confia a sua dor perscruta,

maior glória tem em ter esperança.

anoitecer

Luís de Camões