Destino


Acordo como os pássaros cativos,
com a ária da vida nos ouvidos.
Acordo sem amarras nos sentidos,
fiéis à sempiterna liberdade…
Nada pôde vencer a lealdade
que juraram à deusa aventureira.
Nem as grades do sono, nem a severidade
da noite carcereira.

Acordo e recomeço
o canto interrompido:
o desvairado canto
da ira irrequieta…
– O canto que o poeta
se obrigou a cantar
antes de ter nascido,
antes de a sua angústia começar.


Miguel Torga
Foto de Páginas Em Poesia.

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: