O passo do anjo


Pelas escarpas, nos atalhos de areia e erva

em matas sombrias onde as faias se renovam

os animais já não vigiam

já ninguém os persegue

.

a chuva desenha círculos perfeitos

nos poços dos aldeões

como nos charcos

.

o restolhar de prata da folhagem

previne do passo do anjo, na escuridão

anjo

José Tolentino Mendonça

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: