Ergo uma rosa
Maio 16, 2018

Ergo uma rosa, e tudo se ilumina
como a lua não faz nem o sol pode:
cobra de luz ardente e enroscada
ou ventos de cabelos que sacode.

.
Ergo uma rosa, e grito a quantas aves
o céu pontua de ninhos e de cantos,
bato no chão a ordem que decide
a união dos demos e dos santos.

.
Ergo uma rosa, um corpo e um destino
contra o frio da noite que se atreve,
e da seiva da rosa e do meu sangue

.
construo perenidade em vida breve.
Ergo uma rosa, e deixo, e abandono
quanto me dói de mágoas e assombros.

.
Ergo uma rosa, sim, e ouço a vida
neste cantar das aves nos meus ombros.

rosa

 

José Saramago 

III
Abril 13, 2016

Saio de casa
e deito-me no chão,
inocente,
liberto do peso das palavras
e da Primavera.
.
Encontrei enfim a porta secreta
que liga o sonho dos vivos
ao que há de mais belo na morte
– esta embriaguez com boca
do hálito da terra.
.
Morte verdadeira, para quê?

dreaming_myself_away_by_bellatina

José Gomes Ferreira