Dies Irae
Novembro 2, 2015

Apetece cantar, mas ninguém canta.
Apetece chorar, mas ninguém chora.
Um fantasma levanta
a mão do dedo sobre a nossa hora.
.
Apetece gritar, mas ninguém grita.
Apetece fugir, mas ninguém foge.
Um fantasma limita
todo o futuro a este dia de hoje.
.
Apetece morrer, mas ninguém morre.
Apetece matar, mas ninguém mata.
Um fantasma percorre
os motivos onde a alma se arrebata.
.
Oh! Maldição do tempo em que vivemos,
sepultura de grades cinzeladas
que deixam ver a vida que não temos
e as angústias paradas.

.
soledad_y_tristeza_by_magdalena220

Miguel Torga

Anúncios

Chuva da tarde
Outubro 7, 2015

Chuva da tarde, – melodia mansa,

desejos vagos de chorar baixinho…

Voltei aos meus caprichos de criança,

– só quero, Amor, saber do teu carinho!

.

Chuva da tarde… Na poeira ardente

cai um frescor inesperado e calmo.

É um frescor que purifica a gente

– como a leitura mística dum Salmo!

.

Floresçam jasmineiros e açucenas,

– acuda-se à tristeza das raízes!

Que tu, Amor, com tuas mãos pequenas,

as guardes da estiagem e as baptizes!

.

Meu coração doente remoçou-se,

quando o tocaram essas mãos piedosas…

Chuva da tarde, – enfermaria doce,

onde vão convalescer as rosas!

.

Chuva da tarde… Ao longo das varandas

reza mistérios lentos a noitinha.

Que bem não é sonhar em coisas brandas,

nas tuas brandas asas de andorinha!

.

Deixa que a sombra te emoldure a face,

– eleva no silêncio a tua voz!

O Cântico dos Cânticos renasce,

– diria até que se escreveu p’ra nós!

chuva

António Sardinha

Segredo
Fevereiro 25, 2015

(…)

Tens um segredo? Dize-mo, que eu sei tudo

de ti, quando m’o digas com a alma.

Em palavras estranhas que mo fales,

eu compreenderei só porque te amo.

Se o teu segredo é triste, eu saberei

chorar contigo até que o esqueças todo.

Se o não podes dizer, dize que me amas,

e eu sentirei sem qu’rer o teu segredo.

Quando eu era pequena, sinto que eu

amava-te já hoje, mas de longe,

como as coisas se podem ver de longe,

e ser-se feliz só por se pensar

em chegar onde ainda não se chega.

Amor, diz qualquer coisa que eu te sinta!

Amar é...

Fernando Pessoa

Poema de Natal
Dezembro 21, 2012

Para isso fomos feitos:
para lembrar e ser lembrados
para chorar e fazer chorar
para enterrar os nossos mortos —
por isso temos braços longos para os adeuses
mãos para colher o que foi dado
dedos para cavar a terra.


Assim será nossa vida:
uma tarde sempre a esquecer
uma estrela a se apagar na treva
um caminho entre dois túmulos —
por isso precisamos velar
falar baixo, pisar leve, ver

a noite dormir em silêncio.


Não há muito o que dizer:
uma canção sobre um berço
um verso, talvez de amor
uma prece por quem se vai —
mas que essa hora não esqueça
e por ela os nossos corações
se deixem, graves e simples.


Pois para isso fomos feitos:
para a esperança no milagre
para a participação da poesia
para ver a face da morte —
de repente nunca mais esperaremos…
Hoje a noite é jovem; da morte, apenas
nascemos, imensamente.

Vinícius de Moraes

Se hás-de gostar de mim
Dezembro 17, 2010

Se hás-de gostar de mim, seja, sómente,

por amor. Nunca penses : “Ela agrada

pelo sorriso, – o olhar, – a delicada

maneira por que sempre fala e sente, –

 

a forma de pensar, íntimamente,

à minha, por meu bem, acomodada” –

pois, que não mude, nisso, não há nada,

e mudar pode o amor só nisso assente.

 

Nem deves, meu Amor, gostar de mim

por teu carinho os olhos me enxugar;

teu amor perderei, a ser assim,

 

se, por te ter, já não souber chorar.

Ama só por amor, que não tem fim,

para, também sem fim, poder’s amar.

 

Elizabeth  Browning

Vinicius
Dezembro 8, 2010

Como dizia o poeta,

quem já passou por esta vida e não viveu

pode ser mais, mas sabe menos do que eu,

porque a vida só se dá para quem se deu,

p’ra quem amou, p’ra quem chorou, p’ra quem sofreu.

Ah, quem nunca curtiu uma paixão

nunca vai ter nada, não.

Não há mal pior do que a descrença.

Mesmo o amor que não compensa

é melhor que a solidão.

Abre os teus braços, meu irmão, deixa cair.

P’ra quê somar se a gente pode dividir?

Eu francamente já não quero nem saber

de quem não vai porque tem medo de sofrer.

Ai de quem não rasga o coração,

esse não vai ter perdão.

Quem nunca curtiu uma paixão,

nunca vai ter nada, não.

 

Vinicius  de  Moraes

 

 

 

 

 

Coisa mais linda
Abril 29, 2010