Não te rendas
Agosto 31, 2020

Não te rendas, ainda estás a tempo

de alcançar e começar de novo,

aceitar as tuas sombras

enterrar os teus medos,

largar o lastro,

retomar o voo.

Não te rendas que a vida é isso,

continuar a viagem,

perseguir os teus sonhos,

destravar os tempos,

arrumar os escombros,

e destapar o céu.

Não te rendas, por favor, não cedas,

ainda que o frio queime,

ainda que o medo morda,

ainda que o sol se esconda,

e se cale o vento:

ainda há fogo na tua alma

ainda existe vida nos teus sonhos.

Porque a vida é tua, e teu é também o desejo,

porque o quiseste e eu te amo,

porque existe o vinho e o amor,

porque não existem feridas que o tempo não cure.

Abrir as portas,

tirar os ferrolhos,

abandonar as muralhas que te protegeram,

viver a vida e aceitar o desafio,

recuperar o riso,

ensaiar um canto,

baixar a guarda e estender as mãos,

abrir as asas

e tentar de novo

celebrar a vida e relançar-se no infinito.

Não te rendas, por favor, não cedas:

mesmo que o frio queime,

mesmo que o medo morda,

mesmo que o sol se ponha e se cale o vento,

ainda há fogo na tua alma,

ainda existe vida nos teus sonhos.

Porque cada dia é um novo início,

porque esta é a hora e o melhor momento.

Porque não estás só, porque eu te amo.

despertares

Mário Benedetti

As minhas mãos
Dezembro 15, 2016

As minhas mãos procuram o teu rosto
e perdem-se no ar, desesperadas;
percorrem o caminho do desgosto
e caem a teus pés, extenuadas.
.
Os teus olhos ardentes, de sol-posto,
reacendem as brasas desmaiadas
que jazem no meu peito, encantadas,
à espera de um beijo, de um gosto.
.
Eu quero-te, amor, como tu queres
o calor dos meus lábios, se puderes
ajudar-me a vencer o desafio.
.
As minhas mãos procuram-te, esperam.
Em todos os castelos que fizeram,
tu vives como um sonho, e eu confio.
tempo 3

Diana Sá

Espionagens verbais
Março 7, 2012

Anda desde a manhã uma palavra
… a perseguir-me, a espreitar-me de longe
em atitude nítida de pose,
em clara posição de desafio.

Sugere-se ligeira e disfarçada,
depois foge como uma Mata-Hari
lexical. Não sei o que em mim vê:
não tenho alta patente nem estatuto.

E contudo ela anda por aí.
Sonora e inaudível, surge-me
do silêncio e dos ruídos longos,
brevíssima nos cantos ? e perigosa.

Lá passou outra vez. E anda nisto
desde que me vesti e vi o sol.
Nada a faz desistir: nem a tarde
a cair, nem a minha ameaça de fuzis.

Ana Luísa Amaral

Desafio
Novembro 25, 2009

Recebi este desafio da amiga marialetra (http://marialetra.blogspot.com).

Depois de colocar o selo no início da mensagem, terei de completar 5 frases e indicar 10 blogues para continuarem o jogo.

 

As frases são:

Eu já tive vontade de desaparecer.

Eu nunca … gostei de gente arrogante.

Eu sei … como é importante a comunicação entre as pessoas.

Eu quero … ser feliz.

Eu sonho … com um mundo pacífico, onde os Direitos Humanos sejam respeitados.

 

Os blogues a quem eu envio este repto são:

poetriz , reclamatione , almofadas , outrocantinhomari , mudançacriativa ,

aguas roubadas , inatingivel , pensamentosmistos , standbyyou , mrtherapy

Confiança
Maio 15, 2008

 

Meta, a gente busca.

Caminho, a gente acha.

Desafio, a gante enfrenta.

Vida, a gente inventa.

Saudade, a gente mata.

Sonho, a gente realiza.

DSCN0713

Autor desconhecido