Poema a poema
Junho 19, 2017

Poema a poema escrevo poesia

dia após dia, após noite e sobressalto

cerro e sussurro e de novo tumulto

.

Poema a poema escrevo o desassossego

a translúcida lisura da asa, a harmonia

que deseja o verso no corpo da luz

 .

Poema a poema vou tocando, tomando

o corpo da escrita, afagando a linguagem

num lento e indizível prazer indeterminável

.

Sonho, após símbolo, após metáfora

após sintaxe

Palavra após palavra, após palavra

.

após palavra…

we-are-all-poets

Maria Teresa Horta

 

 

Anúncios

Procura-te
Março 23, 2015

não procures no que lês
o eu que o escreveu
procura-te

aceitares ou recusares
as palavras lidas
é seres tu

será sempre morta a escrita
que não provoque no leitor
repulsa aceitação ou
no limite da comunhão o
“porque não fui eu?”

se te sentas nas minhas palavras
e adormeces
de nada serviu tê-las escrito

não me procures no que leste
procura-te porque o fizeste

chama-arcoiris

A. H. Cravo

Escrevo…
Novembro 17, 2009

Escrevo com a luz do coração

o que sinto, o que sofro e o que canto,

e as palavras ditas com paixão

escondem o meu sonho no seu manto.

Escrevo com a fúria dum vulcão

que atinge os valados do meu pranto.

Escrevo como uma libertação,

uma muralha erguida ao desencanto.

Escrevo com a minha vida inteira,

o meu acaso, o meu infinito,

a força que me leva e me domina.

Escrevo com a mão firme e ligeira,

ou lenta e apagada, o meu grito,

o meu espanto louco de menina.

 

Diana Sá