Primeiro: continuar. Segundo: começar
Abril 15, 2018

Se não escrevo, leio.
Não descanso até encontrar
o poema que me alivie.
Encontrarei palavras
que me emprestem sentido.

É um modo de sobrevivência que pratico,
procurar casas dentro de casa.
Transporto uma candeia discreta e vejo
nos poetas-irmãos e nos poetas-amantes,
sossego para as emoções que me fazem cerco.

Fecharei os olhos
quando me sentir iluminada por dentro.

livros 1

Marta Chaves
   em    Varanda de Inverno

Tanto que fazer
Novembro 9, 2017

Tanto que fazer !
Livros que não se lêem,
cartas que não se escrevem,
línguas que não se aprendem,
amor que não se dá,
tudo quanto se esquece.

Amigos entre adeuses,
crianças chorando na tempestade,
cidadãos assinando papéis, papéis, papéis…
até o fim do mundo assinando papéis.

E os pássaros detrás de grades de chuvas,
e os mortos em redôma de cânfora.
( E uma canção tão bela ! )

Tanto que fazer !
E nunca soubemos quem éramos
nem para quê.

 

Foto de Graça Costa.

Procura-te
Março 23, 2015

não procures no que lês
o eu que o escreveu
procura-te

aceitares ou recusares
as palavras lidas
é seres tu

será sempre morta a escrita
que não provoque no leitor
repulsa aceitação ou
no limite da comunhão o
“porque não fui eu?”

se te sentas nas minhas palavras
e adormeces
de nada serviu tê-las escrito

não me procures no que leste
procura-te porque o fizeste

chama-arcoiris

A. H. Cravo

Epitáfio
Março 5, 2015

eu não deixo nada feito

fica tudo por fazer

que eu passei parte da vida

a tentar sobreviver

a outra parte a dormir

e outra parte a comer

ou então a fazer coisas

que não vou aqui dizer

mas não deixo nada feito

fica tudo por fazer

.

eu não deixo nada escrito

fica tudo por escrever

que eu passei parte da vida

a aprender a saber ler

seria muita arrogância

eu pôr-me agora a escrever

e em verdade se diga

que tive mais que fazer

mas não deixo nada escrito

fica tudo por escrever

.

e até o que foi dito

do que se diz por dizer

às coisas mais delicadas

que põem um tipo a pensar

duvido que alguma coisa

fosse assim tão singular

ou que ainda um dia se diga

sim senhor gostei de ouvir

por isso, p’ra resumir

digo-te sem cortesias

aqui jaz o malaquias

.

viesses mais cedo e ainda o vias

time 2

Pedro Malaquias

A poesia vai acabar
Novembro 13, 2013

A poesia vai acabar, os poetas

vão ser colocados em lugares mais úteis.

Por exemplo, observadores de pássaros

(enquanto os pássaros não

acabarem). Esta certeza tive-a hoje ao entrar

numa repartição pública.

Um senhor míope atendia devagar

ao balcão; eu perguntei: “Que fez algum

poeta por este senhor?” E a pergunta

afligiu-me tanto por dentro e por

fora da cabeça que tive que voltar a ler

toda a poesia desde o princípio do mundo.

Uma pergunta numa cabeça.

– Como uma coroa de espinhos:

estão todos a ver onde o autor quer chegar? –

escolher_livro_ou_fechar

Manuel António Pina

Post – scriptum
Setembro 12, 2009

Não sou daqueles cujos ossos se guardam,

nem sou sequer dos que os vindouros lamentam

não hajam sido guardados a tempo de ser ossos.

Igualmente não sou dos que serão estandartes

em lutas de sangue ou de palavras,

para uns odiado quanto me amem outros.

Não sou sequer dos que são voz de encanto,

ciciando na penumbra ao jovem solitário,

a beleza vaga que em seus sonhos houver.

Nem serei ao menos consolação dos tristes,

dos humilhados, dos que fervem raivas

de uma vida inteira pouco a pouco traída.

Não, não serei nada do que fica ou serve,

e morrerei, quando morrer, comigo.

Só muito a medo, a horas mortas, me lerá,

de todos e de si se disfarçando,

curioso, aquel´ que aceita suspeitar

quanto mesmo a poesia ainda é disfarce da vida.

jorge-de-sena

Jorge de Sena

Como te enganaste, meu amigo…