Estrada
Fevereiro 10, 2018

A tua história entristece-me…

À luz do que sei hoje,

a sombra de uma censura escurece

o longo rol de problemas

que vivemos há uma eternidade.

Desconheci-a muito tempo.

Não entendia o teu rancor.

Depois, que fazer da estrada rota

que vai de mim a ti?

.

Como posso mostrar-te o que me aflige

se as minhas tentativas acabam

numa parede de aço

erguida entre nós?

Navego às cegas entre ondas vigorosas

e vagas de calmaria.

Não consigo avaliar se

e quanto precisas de mim.

Ajudas-me?

nevoeiro

Diana Sá

Verso sem despedida
Outubro 15, 2013

Haverás de bater em minha porta

quando a noite chegar serena, fria,

carregando a paixão pesada e morta,

relembrarás a minha companhia.

.

Distante da esperança que conforta,

perto do desengano que crucia,

verás que toda volta à rua é torta,

e a casa encontrarás sempre vazia.

.

Tu chorarás ao ver o meu desprezo

sem poder reduzir, sequer, o peso

da cruz que colocaste em minha vida.

.

E nessa hora de dor que mortifica,

a poetisa parte… o verso fica

sem ódio, sem rancor, sem despedida…

outono_londres_c2a9imagoverbalis

Sarah Rodrigues