Na sombra
Setembro 19, 2014

No final das tardes de Setembro,

procurámos o horizonte.

O futuro era um mar

de onde nada sobressaía.

.

Campos de searas quase impossíveis

esperavam a noite,

os rios desconheciam a sua origem,

perdidos na vastidão.

.

Ainda aguardámos outro Inverno

com expectativa e receio,

mas existe um azul

que permanece e se renova.

.

Adormecemos tranquilos,

não mais precisámos de sombra.

trovoada

Joel  Henriques

Naufrágio
Agosto 15, 2011

Perdido no meio de uma tempestade
…que me rasgou as velas
me arrefeceu e me fez naufragar,
mergulhei no teu corpo revolto e ondulado,
acossado por piratas, adamastores
e outras gentes,
nadei por esse teu mar inconformado,
enfrentando as minhas nuvens de receios,
e as tuas promessas de ventos e correntes,
sedento, engoli a espuma que te enfeitava,
respirei o teu cheiro de maresia,
provei o teu sal de poesia,
que me aqueceu e me fez respirar,
mas veio depois uma onda
cobarde, repetida e traiçoeira
que me afogou, me fez desaparecer
e afundar nas palavras de um poema,
com um fim que apenas os dois
saberemos contar.

José Gabriel Duarte