Gestos
Junho 25, 2014

Gestos,

apenas gestos. A minuciosa ternura

posta nas coisas imediatas,

nas que duram contra a noite,

nas que acendem lâmpadas precárias

e contêm o silêncio,

como se música fossem

e nela nos viéssemos

perder.

.

Gestos,

tu ouves?

Nem o teu coração pode dar guarida

a tanto silêncio da terra.

.

Se agora mesmo devagar nos anoitecesse

e se, mergulhados numa aguda nostalgia

ou na recordação de um rosto,

nos desencontrássemos do mundo,

só esse gesto viria resgatar-nos,

a nós, feridos de amor e de sentido.

.

Por isso, hoje só posso dizer

o que o teu coração abandonou.

mao1

Luís Filipe Castro Mendes

Anúncios

Chove
Maio 4, 2009

Nesta tarde chove, e  chove pura a

tua imagem. Na minha recordação abre-se o dia.

Entraste.

Não oiço. A memória dá-me só a tua imagem.

Só o teu beijo ou chuva cai em recordação.

Chove a tua voz, e  chove o beijo triste,

o  fundo beijo,

beijo molhado em chuva. O  lábio é húmido.

Húmido de recordação o beijo chora

nuns céus cinzentos

delicados.

Chove o teu amor, molha a minha memória,

e  cai  e  cai.  O  beijo

cai ao fundo. E  cinzenta ainda cai

a  chuva.

chuva4

Vicente Aleixandre

Migalhas
Abril 3, 2008

Vivemos de migalhas,

do pouco que a vida

nos deixa dar

um ao outro…

De lembranças, de sonhos,

de encontros virtuais,

de silêncios…

Esta amargura de estarmos longe

um do outro,

mesmo quando podíamos

estar perto…

Este carinho que certas palavras mágicas

abrem  no rol

das recordações…

Este pressentir de razões,

na sequência implacável do Destino…

Esta recusa, este medo,

este sofrimento…

Onde estás?

Pensas em mim?

isso-se-chama-amor-1

Diana  Sá