Destino 4
Outubro 22, 2019

Não te amei sob as árvores.

Nem bebi a tua boca ao pé das fontes.

Respirei-te, na tarde,

quando as sombras do outono

desciam, rápidas, sobre mim.

???????????????????????????????

Luísa Dacosta

Quando as palavras
Junho 23, 2008

Quando as palavras abrem canais de transparência

entre as ilhas fechadas de azedume ou desespero

da nossa solidão

uma alegria sempre nova

escancara as portas todas para o sol

e  eu volto logo inteiro com cega impaciência

para onde jurei mil vezes nunca mais voltar.

.

Deslumbra-se o coração

aberto em girassol.

.

É  como respirar.

  Mário  Dionísio