Ano Novo
Janeiro 3, 2010

Por que será?

O ano principia com uma incógnita. Como já o anterior e outros o fizeram…

E eu ignoro a resposta. Continuo a ignorar, porque me é impossível encontrá-la sózinha, e quem me poderia ajudar se recusa…

Se tu soubesses

como custa

precisar de dados para resolver um problema

e ficar à espera,

eternamente à espera,

infinitamente à espera,

virias ao meu encontro

e dar-mos-ias,

porque pior do que conhecer qualquer resposta

é  morrer à sede  delas…

 

Não sei
Setembro 8, 2009

Que faço eu aqui, enquanto espero

que uma andorinha rápida me traga

a resposta dos deuses, que procuro?

Que faço eu aqui, se eles falharem

a minha esperança e me recusarem

a ajuda, o conselho, o abrigo?

Talvez tudo isto seja ilusório,

talvez eu saiba já o que fazer,

mas tenha medo de o assumir…

Talvez esteja já no firmamento

escrita a resposta que procuro,

e eu não saiba ou não queira ver…

estrelas

Diana Sá

Segue o teu destino
Novembro 11, 2008

Segue o teu destino,

rega as tuas plantas,

ama as tuas rosas.

O  resto é sombra

das árvores alheias.

A  realidade

sempre é mais ou menosouro-de-outono

do que nós queremos.

Só nós somos sempre

iguais a nós próprios.

Suave é viver

só.

Grande e nobre é sempre

viver simplesmente.

Deixa a dor nas aras

como ex-voto aos deuses.

Vê de longe

a  vida.

Nunca a interrogues.

Ela nada pode

dizer-te. A resposta

está além dos deuses.

Mas serenamente

imita o Olimpo

no teu coração.

Os deuses são deuses

porque não se pensam.

.

 Ricardo Reis

Tantas perguntas
Maio 2, 2008

Tantas perguntas

e nenhuma resposta.

Somente a lua sangrando violada

nas montanhas de Agosto.

Só os olhos secretos das panteras,

o voo dos milhafres.

Tanta pergunta.

E já vem vindo

o tropel dos cavalos selvagens.

Confundo cascos, crinas, corações a galope.

Inunda-me o perfume estonteante dos lírios.

Acaricio o gato, o grão,

as pétalas das rosas.

E nenhuma resposta.

Interrogo. Interpelo. Pergunto.

202_2644-lupa-interrogas

Rosa Lobato de Faria