Tão cedo passa
Junho 25, 2017

Tão cedo passa tudo quanto passa!
Morre tão jovem ante os deuses quanto
morre! Tudo é tão pouco!
Nada se sabe, tudo se imagina.
Circunda-te de rosas, ama, bebe
e cala. O mais é nada.

rosas fogo

Ricardo Reis

Meu quase sexto sentido
Junho 16, 2016

Por detrás da névoa incerta,
da bruma desconcertante,
há uma verdade encoberta,
que é, por detrás da névoa incerta,
intemporal e constante.
.
Oh névoa! Oh tempo sem horas!
Oh baça visão instável!
Que mal meus olhos afloras,
em vão transmutas, descoras…
Meu olhar é infatigável.
.
Quero saber-me quem sou
para além do que pareço
enquanto não sei e sou!
Nuvem que a mim me ocultou,
ai! meramente aconteço.
.
Com menos finalidade
do que uma folha caída
na boca da tempestade,
porque ela é, na verdade,
morte a caminho da Vida.
.
E eu não sei donde venho,
nem sei, sequer p´ra onde vou.
Rompa-se a névoa encoberta!
Quero saber-me quem sou!

nevoeiro

Reinaldo Ferreira

No princípio
Novembro 14, 2015

No princípio, só a vida existia;
o mundo era o que havia
ao alcance da vida…
E mais nada.
.
Tudo era certo, simples, claro.
.
Quando o passado passar
(e passará, porque o passado é hoje),
e o futuro vier
(e há-de vir, porque o futuro é hoje),
então, sim; há-de saber-se tudo.
E tudo será certo, simples, claro.
.
Eu, porém, não sei nada.

estrelas

Reinaldo Ferreira

Quem a tem…
Novembro 5, 2014

Não hei-de morrer sem saber

qual a cor da liberdade.

.

Eu não posso senão ser

desta terra em que nasci.

Embora ao mundo pertença

e sempre a verdade vença,

qual será ser livre aqui,

não hei-de morrer sem saber.

.

Trocaram tudo em maldade,

é quase um crime viver.

Mas, embora escondam tudo

e me queiram cego e mudo,

não hei-de morrer sem saber

qual a cor da liberdade.

MINOLTA DIGITAL CAMERA

Jorge de Sena

Fui sabendo de mim
Agosto 27, 2013

Fui sabendo de mim

mia couto

por aquilo que perdia

pedaços que saíram de mim
com o mistério de serem poucos
e valerem só quando os perdia

fui ficando
por umbrais
aquém do passo
que nunca ousei

eu vi
a árvore morta
e soube que mentia

Mia Couto, em “Raiz de Orvalho e Outros Poemas

Rio triste
Agosto 19, 2011

Longuíssimos braços têm
os olhos que tudo abraçam.
Somente, só os olhos vêem
os olhos que por mim passam.

Clandestinamente os lanço,
braços de mar, olhos de água.
Longo ser líquido avanço,
abraço a vida, e alago-a.

Destino do amor triste
que não se ouve nem se vê.
ama apenas porque existe.
Não sabe a quem nem porquê.

Nesta obrigação de estar
que a cada um de nós cabe,
coube-me esta de amar.
E ninguém sabe.

António Gedeão

Talvez
Novembro 3, 2009

coracao20

Ah! Se eu pudesse um dia adivinhar

aquilo que eu não penso e que Ela pensa,

talvez eu conseguisse a recompensa

das horas que hei passado a soluçar!

Talvez aquele pranto de criança,

que eu verti sobre as cinzas do meu lar,

conseguisse alcançar o que Ela alcança

quando, junto de mim, fica a chorar!

Talvez pudesse um dia transformar

aqueles sonhos lindos que eu sonhei

noutro desvairo, noutra febre intensa!

Ah! Se eu pudesse um dia adivinhar

aquilo que Ela sabe e eu não sei,

aquilo que eu não penso e que Ela pensa!…

 

Abílio Mesquita