A outra morada
Maio 16, 2015

É de Schumann, a música.

Dói, acalma, é transparência

última da rosa, a de Dante

no Paraíso;

não há outra morada,

outro cristal, outra ave;

há somente esse rio, esse gume

que fere, apazigua,

o corpo, a alma – quem sabe?

   música

Eugénio de Andrade   em   Rente ao Dizer (1992)

Quando as palavras
Junho 23, 2008

Quando as palavras abrem canais de transparência

entre as ilhas fechadas de azedume ou desespero

da nossa solidão

uma alegria sempre nova

escancara as portas todas para o sol

e  eu volto logo inteiro com cega impaciência

para onde jurei mil vezes nunca mais voltar.

.

Deslumbra-se o coração

aberto em girassol.

.

É  como respirar.

  Mário  Dionísio