3.
Maio 6, 2019

era assim como se nunca mão de homem tivesse
ultrapassado os limites da minha pele assim como

um grito cortado na cintura esperando que
o teu rasto de repente se esfumasse entre
os medos da manhã e nenhuma tempestade
pudesse alguma vez desviar os teus passos e
o espanto que neles gritava como
no primeiro dia em que houve luz e todos os nomes que de um momento para o outro
as coisas possuíam entraram nas minhas veias
e ergueram-se na minha noite sem
esperar pela vinda de ninguém e cada sílaba que nascia trazia consigo
uma maneira diferente e inútil
de te esquecer
.
Alice  Vieira   em    Os armários da noite ( livro a publicar)

O título vem de uma epígrafe do Nuno Júdice:

“(…)não convém abrir
os armários da noite, mesmo que as sombras nos peçam
o que está dentro dele.”

Espero
Fevereiro 1, 2011

 

Espero sempre por ti o dia inteiro,
quando na praia sobe, de cinza e oiro,
o nevoeiro
e há em todas as coisas o agoiro
de uma fantástica vinda.

Sophia

 

Uma homenagem a uma grande poetisa, quando o seu espólio foi doado aos Portugueses.

Balada de sempre
Maio 8, 2009

Espero a tua vinda,

a tua vinda,

em dia de lua cheia.

Debruço-me sobre a noite

inventando crescentes e luares.

Espero o momento da chegada

com o cansaço e o ardor de todas as chegadas.

Rasgarás nuvens, estradas,

abrindo clareiras

nas sedes e nas ciladas.

Saltarás por cima dos mares,

de planícies e relevos

– ânsia alada

no meu desejo imaginada.

sem-titulo3

azul

Mas…

enquanto deixo a janela aberta

para entrares,

o mar,

aí além,

lambe-me os braços hirtos, braços verdes,

algas de sonho,

… e desenha ironias na areia molhada.

 

Fernando Namora